quarta-feira, 27 de março de 2013

Sempre quando eu vejo uma pessoa (seja ela homem ou mulher) que terminou um namoro, e em um curto espaço de tempo já engatou outro relacionamento, eu me espanto. Fico pensando, ou ela terminou para começar ou esse novo namoro; ou ela tem uma carência acima da média e precisa se fixar em um relacionamento. Acontece que em qualquer uma das duas opções, o ato de namorar acaba perdendo o valor, virando uma conveniência, uma coisa trivial. Deveríamos pensar bem antes de começar um namoro, não apenas, por futilidade, carência, ou qualquer coisa superficial do tipo; para isso existem as ficantes, as aventuras. Namorar exige mais, bem mais. As trocas de olhares quase sempre em um dueto extasiado, essas travessuras do acaso, desencontros e reencontros de amantes predestinado, amores imperfeitos que duraram mais que o verão. Não amigos, não conseguiremos isso em cada esquina, a cada semana.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Na internet, existem algumas palavras e expressões que são criadas assim, de uma hora pra outra, e acabam ganhando força e viram uma nova definição, pra algo, que antes não existia. Uma palavra vem chamando a minha atenção nos últimos tempo, é o termo “FriendZone”. Em tradução simples, quer dizer “zona amiga”, mas, vai bem alem disso.
Não é complicado entender o termo, friend zone é basicamente o cara que dá em cima de uma menina, mas, ela não quer, e diz: “vamos ser apenas amigos”. E ele fica nessa angústia, de gostar da menina, e ela não querer nada com ele. Tem que agüentar ver ela ficando com outros, tem na maioria das vezes seu sentimento(geralmente verdadeiro) sendo ridicularizado pelas costas, e fica se alimentando de falsas esperanças, como um: “Hoje não rola, quem sabe num futuro” .
Verdade amigos, esse cara já mereceu meu respeito, por ter conseguido se declarar, muitos na insegurança guardam seu sentimento para si, temendo a rejeição. Pelo menos ele deu o passo mais importante, mas, diferente de um fora convencional, ele fica insistindo, não parte pra outra, tendo uma falsa amizade com a menina, munido de migalhas em forma de esperança e de sentimentos de não desistir. A menina, claro, para inflar seu ego, mesmo não admitindo, acha maravilhoso ter um cara, que mesmo que ela não queira como homem, está aos seus pés, por isso elas acabam não se afastando.
Eu acredito em amizade entre homens e mulheres, tenho algumas amigas sim, mas esse cara que está na Friend Zone não quer a amizade da menina. Amizade é um sentimento muito nobre, mas ele não quer, ele quer ser namorado da menina, e não seu encosto sentimental, aonde ela pode desabafar tudo, sobre os canalhas que ela pega, sobre seu dia, sobre suas angustias.
A verdade meninas, é que vocês muitas vezes perdem um cara que possivelmente seria o melhor namorado que você poderia ter, pois o sentimento que ele carrega é verdadeiro, diferente daquele cara que você ficou no sábado e só quis transar com você. Os encantos dos canalhas se sobrepõem a inocência dos rapazes da friendzone. Porem, se engana quem acha que o perdedor da questão é o rapaz da Friendzzone. Bom caráter e bondade só são atraentes a pessoas maduras. Por isso acho, que muitas vezes eles se livram, e não perdem.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Sabe aquelas promessas de fim de ano? Tipo, parar de fumar, entrar na academia, estudar mais, e por vai. Tenho certeza que cada um de vocês fizeram algumas dessas, mesmo não acreditando muito que iriam cumprir todas. Muitos até acreditavam que iriam, mas já quebraram algumas até nesse dia 21. Pois bem amigos, eu fiz uma promessa ambiciosa, uma jornada na verdade, e vim compartilhar com vocês. Me propus o próprio desafio de assistir um filme por dia. Pode parecer pouco para alguns, muitos para outros. Mas veja bem queridos, é 1 filme por dia, então vão ser 365 filmes, ou seja, mesmo com viagens, carnaval, estudos, provas, etc, vou ter que cumprir essa meta. Não obrigatoriamente todos os filmes que assistirei serão inéditos, pretendo rever muitos clássicos também, se eu deixar de ver um hoje, vão ser dois amanhã, então não posso acumular. Tentarei trazer comentários sobre essa jornada que já começou, falar sobre alguns filmes: os mais marcantes, os piores, os clássicos, os que me emocionaram. tudo de forma despretensiosa como é tudo que eu escrevo aqui. Por que amigos, assistir é apenas o começo.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Nunca escondi meu pouco apreço com pessoas que expressam seu gosto pela leitura aos quatro cantos e até mesmo pela maioria dos livros. Sempre achei essas pessoas, em sua maioria, mais exibicionistas, e portadores de tremenda arrogância, do que verdadeiros leitores. O que eu fiz? Declarei guerra contra essas pessoas, falei que a leitura é a pior das artes, que a maioria das pessoas que lêem não passam do "Crepúsculo" ou da auto-ajuda, e que o cinema era bem melhor e superior. Ora amigos, convenhamos, que eu não esteja completamente errado sobre tais afirmações, mas cometi um pecado ou equivoco. Esqueci de como pode ser maravilhoso ler um livro. Simplesmente ignorei o fato que ler, alem de um ótimo passatempo, pode ser sim uma viagem. Enquanto o cinema é um banquete para os olhos, os livros podem ser um banquete para a imaginação. Enquanto o cinema nos entrega a pizza pronta na caixa, o livro me dá os ingredientes para eu fazer a minha. Não, não acho um livro melhor que um filme, mas, só agora pude reconhecer que o livro tem sim, sua importância, grande importância por sina, não só na minha vida, mas na vida de muitos. Não acho tal guerra mais necessária, entendi que da mesma maneira que existe filmes que eu não gosto, existe livros que eu também não gosto. E vai continuar existindo gente que não vai gostar dos filmes e livros que eu gosto e eu vou continuar não gostando dos filmes e livros que essas pessoas vêem e lêem.
Sobre os indicados ao Oscar 2013 e minha opinião.

Todo ano a mesma coisa, sai os indicados e começam as apostas de quem ganha o que. Mesmo eu não tendo assistido a maioria dos filmes, isso não me impede de ter meus favoritos ao prêmio. De cara deu pra ver que a academia ainda não é liberal o suficiente para colocar um filme do Batman entre os indicados nas categorias mais importantes. O meu favorito é "As aventuras de Pi", mas, acho pouco provável que ele leve a estatueta de melhor filme por ser um filme muito tecnológico, e de melhor diretor, uma vez que Ang Lee já venceu uma vez, e a academia pode dá a chance a outro, ou consagrar de vez Steven Spielberg como maior diretor de todos os tempos e seu terceiro Oscar. Pi dele levar a maioria dos prêmios técnicos(incluido fotografia e som), com sorte o Melhor roteiro adaptado. A academia já provou gostar de filmes "almofadinha", como O discurso do rei. Por isso acredito na consagração de Lincoln, que deve levar tudo nos prêmios de elenco, com destaque para melhor ator para Daniel Day-Lewis. Quando tem Michael Haneke na parada, não tem pra ninguém, por isso Amour deve levar Melhor filme estrangeiro, e por mais que eu goste de Selton Mello, O palhaço não merecia entrar na lista. Desde Toy Story 3 a Pixar caiu a qualidade dos filmes, estávamos acostumados a obras-primas como WALL·E, ela nos acostumou mal, por isso Valente dificilmente leva, por isso aposto no Frankenweenie do Tim Burton. Senti falta em especial do Wes Anderson e suas esquisitices, Moonrise Kingdom merecia sim, ser pelo menos indicado. Dispenso documentário e curtas. Canção e trilha-sonora eu vou de Pi, desde Up- altas aventuras eu não vejo uma trilha tão bonita como a de Pi, canção talvez Skyfall possa levar, afinal as músicas do 007 sempre são um arraso, só lembrar do live and let die do Paul McCartney. Então é isso amigos, torcida para Pi, mas sabendo que Lincoln é favorito, e se ligar no dia 24 de Fevereiro.
O que eu vou falar aqui não tem como objetivo contestar a existência de um Deus ou não, ou dizer que existe uma religião melhor do que outra. Sinceramente acho cansativo esses debates e na maioria das vezes não levam a nada, e com o tempo aprendi a aceitar e respeitar o credo de todos, por mais que eu discorde de algumas coisas. Acontece amigos, que pra muitas vezes você entrar em uma religião, você tem que abrir mão a muitas coisas, que te dão prazer e felicidade. Coisas que são tão inofensivas, que eu me questiono muitas vezes, tento entender como isso pode ou não me afastar de Deus, e como eu vou ser castigado(isso claro, segundo algumas religiões). fazendo coisas tão ingénuas. Eu por exemplo nunca deixaria de ouvir as minhas bandas favoritas, imagine minha vida sem Oasis, sem os Beatles, sem as canções de amor do Cazuza, sem as parodias divertidas do Ultraje, ficar sem as pérolas da Raul Seixas. Talvez se exista um Deus, uma da maiores provas de sua existência seja Bitter Sweet Symphony do Verve, chego a duvidar que isso foi obra dos homens. Ai abrir mão de tudo isso, para me focar em um único estilo? Não amigos, é me limitar demais. Aonde eu moro é um dos lugares mais quentes que se existe, uma das melhores formas de me refrescar é bebendo aquela cerveja bem gelada com os amigos, não consigo ver mal algum (alem do de dirigir depois) nesse ato. Evidentemente que eu não sou a favor do alcoolismo, mas já está mais do que provado que um copo de cerveja não deixa ninguém alcoolatra e faz até bem para saúde. E por ai vai, reafirmo amigos, não sou contra nenhuma religião ou igreja, mas afirmo amigos, Deus se existir, não iria querer me ver infeliz sem essas coisas.

Linux x Windows

Se existe uma coisa que eu não faço, é cuspir no prato que comi, nunca fiz, e pretendo não fazer, é por isso acho bastante errônea a opinião de alguns usuários que migram da plataforma Windows para a Linux. Como se tudo que existe no windows não prestasse, e parece que o linux é perfeito, não tem erros ou bugs, e seus programas são excelentes. Não amigos, eu como usuário do Ubuntu a muitos anos, posso garantir a vocês, Linux tem sim suas falhas e limitações. Muita coisa não funciona bem, ou simplesmente não funciona de forma alguma, temos muitos problemas em configurações, e mais uma série de defeitos. Mas eu optei, pelo o Ubuntu, prefiro o a política de software livre, não tenho paciência de tá procurando cracker, drives, serials, tá instalando anti-virus, etc. Mas nem por isso vou negar o quanto era bom o Windows XP. Como era rápido e facil, como tudo rodava bem nele, principalmente depois dos pacs, como sua custumização era divertida. Como eu adorava aquele Papel de parede do campo verde e o céu azul, winamp, jogos e mais jogos, Max Payne, pinball e por ai vai. Por isso não consigo entender o porque de tanto desprezo, com o sistema que foi a felicidades dos mesmos usuários durante tanto anos. Não quero dizer que um é melhor ou pior que o outro, cada um tem sua finalidade e seu publico alvo. Mas o fato de você ter uma nova opção, não quer dizer que a anterior seja completamente desprezível.